Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Açúcar e Pimenta

BLOG PESSOAL ONDE OS PENSAMENTOS VOAM E TUDO PODE ACONTECER

Açúcar e Pimenta

BLOG PESSOAL ONDE OS PENSAMENTOS VOAM E TUDO PODE ACONTECER

31
Jan18

Chá

A.

Já se sabe que o Inverno para mim não tem praticamente nada de agradável. Mas uma coisa que me dá imenso gozo fazer no Inverno (e que no verão não calha tão bem) é beber uma bela de uma chávena de chá.

Gosto mesmo de estar no meu recanto, ou na hora da minha pausa no trabalho acompanhada desta bebida quente. Sinto que me faz bem ao corpo e à alma e chega até a aquecer o coração.

Não sou esquesita quanto aos sabores gosto de experimentar de tudo um pouco e até de ir variando e beber cada dia um sabor diferente.

 

E agora com licença que vou tratar do assunto para hoje. ;)

30
Jan18

As Crónicas de Nárnia

A.

Foi das minhas melhores descobertas dos últimos tempos. 

Enquanto fazia tempo às voltas na rua decidi entrar numa livraria e vi tudo de uma ponta à outra. Até que me lembrei que uma vez tinha visto um excerto do filme "As Crónicas de Nárnia" e fiquei sempre com aquela curiosidade de ler os livros. Vai na volta e lembrei-me de perguntar na livraria se os tinham disponíveis. E tinham! 

Assim que comecei a ler o primeiro (pela ordem cronológica) só consegui prar quando o terminei. Prendeu-me de tal forma que não mais o larguei. E era mesmo de algo assim que eu estava a precisar. De algo que me fizesse viajar para outro mundo nem que fosse só por um bocadinho. 

Recomendável a miúdos e graúdos. =)

28
Jan18

Sobre a definição de café

A.

Definição de café segundo o dicionário:

1. Fruto ou semente do cafeeiro.

2. Pó resultante da secagem, torrefação e moagem das sementes do cafeeiro.

3. Bebida preparada a partir da infusão desse pó, de propriedades tónicas e estimulantes.

4. Estabelecimento onde se serve esta e outras bebidas e algumas comidas levez.

 

Definição de café segundo a minha pessoa:

1. Bebida booster de energia após a ingestão da qual é que uma pessoa acorda de verdade. Até lá é um zombi ambulante e não tem qualquer discernamento para fazer tarefas ou tomar decisões. 

 

 

É o meu único vicio!

 

26
Jan18

Medos e Inquietações

A.

Todos temos os nossos medos e todos sentimos por vezes algum tipo de inquietação e há sempre uma ou outra situação que nos deixa mais incomodados. E até aqui tudo normal. 

 

O problema passa a existir quando começamos a viver em função disso e condicionar toda a nossa vida em torno desses medos. Deixamos até mesmo de concretizar certos planos e deixar de lutar por certos objetivos por termos todas essas coisas a travar-nos. Às vezes o desespero é tão grande que até só nos apetece chorar, gritar, começar a correr na nossa velocidade máxima sem destino e sem tempo até não conseguir mais, e deitar cá para fora todas as más energias que se vão acumulando na esperança de que tudo o que nos deixa mal desapareça.

 

E temos duas opções. Ou nos deixamos ficar assim quietinhos e deixamos o medo vencer, ou somos um pouco mais corajosos que isso e lutamos contra ele, até que finalmente conseguimos viver de uma forma mais tranquila e independente. E cá para mim, a segunda opção é aquela que à partida nos vai dar mais qualidade de vida, ainda que seja bem mais dificil de colocar em prática. Mas como se costuma dizer, "tudo o que vem fácil vai fácil".

 

A dúvida que depois se coloca muitas vezes é: "o que é que podemos então fazer para superar isso?". 

E podem existir tantas respostas quanto o número de pessoas existentes. Porque o que pode resultar com uns pode não resultar com outros. Há quem se consiga libertar pintando quadros, outros meditando, há quem se liberte no exercício físico,há quem procure ajuda profissional e se entenda melhor a conversar e deitar cá para fora tudo o que o incomoda, há quem se tranquilize a cantar, fazer puzzles, enfim, e não saíamos daqui hoje se continuasse.

 

A mensagem que procuro passar, é a de que temos apenas de arranjar uma forma de conseguir combater esses medos e inquietações, isto se quisermos ver-nos livres deles. Podemos não acertar logo à primeira, mas vamos acabando por descobrir aquilo que nos faz bem e que nos permite viver com alegria e em tranquilidade.

25
Jan18

Não me lixem

A.

Eu devo ser um pouco fora do normal. 

Sei que há pessoas que gostavam (e muito) de estar na posição em que eu estou neste momento e lutam diariamente por isso, no entanto, eu não fiz nada para o ter, nem era minha vontade nem nunca foi minha ambição.

De todas as formas agradeço muito esta oportunidade, pois é um enorme reconhecimento do  meu trabalho e uma forma de me ver valorizada. E já que tenho que assumir as responsabilidades e tenho, gosto de levar tudo a sério e mostrar que fui uma escolha acertada e vou querer assumir tudo até ao fim.

Agora é assim, quem quer ter o que eu tenho, que lute por isso e que mostre que vale realmente a pena, mais que eu, mas pelo seu esforço, trabalho e dedicação e não por métodos sujos que envolvem deixar-me mal perante os outros, dizendo coisas que não são bem a realidade ou por qualquer outra forma.

Por isso, façam tudo o que quiserem, mas não me lixem!

24
Jan18

Adoro limpezas gerais

A.

Sei que este titulo é para muito boa gente um pouco masoquista mas é a minha realidade.

Gosto mesmo de fazer limpezas gerais cá em casa. Para além de ficar tudo mais limpo e organizado que o habitual, há muita coisa da qual nos desapegamos ou porque já não serve ou porque já não usamos ou porque já não gostamos e muitas vezes olhamos mesmo para as coisas e pensamos "-Onde raio estava eu com a cabeça para ter trazido isto cá para casa?".

No fundo, o que eu gosto mesmo nisto tudo é que há mais do que apenas nos vermos livres de muita da tralha que morava conosco, ou de como gostamos de ver tudo com um novo ar. Não é só a casa que fica de cara lavada, é também a nossa mente e o nosso bem estar. A sensação de leveza e até a serenidade que conseguimos tantas vezes sentir após todo o trabalho que tivemos, é a maior recompensa que podemos ter, e até acabamos por nos sentir mais felizes.

23
Jan18

Revolta

A.

Não tem sido um caminho fácil. O que me vai valendo é que são mais os altos que os baixos.

Todos os dias me dedico por inteiro a cada tarefa que tenho que realizar e quando já está tudo feito e tudo orientado lá está a minha pessoa já a pensar no que é que pode fazer ainda mais. E organização é uma das minhas palavras chave para tudo.

Todos os dias luto, todos mesmo sem exceção. E luto pelo quê? Por manter uma das coisas que mais me faz feliz. Desde o início que sempre estive numa situação diferente de todos os outros e a seguir vêm mais duas pessoas com exceções ainda maiores que a minha e conseguiram no espaço de um ano aquilo pelo qual eu ando a lutar à dois e ainda não sei se o consegui.

 

É revoltante! É mesmo revoltante!

 

Mas atenção, não estou contra a que o tenham conseguido e não acho que não mereçam. Estou apenas revoltada por eu tanto lutar e depois ainda há quem o consiga primeiro que eu. Só isso.

21
Jan18

Quando a folga é ao domingo

A.

É qualquer coisa para cima de espetacular.

Posso dormir a manhã na cama até às horas que eu bem entender.

Posso almoçar com a minha família.

Posso pôr as minhas séries em dia.

Posso ler os meus livros.

Posso dedicar-me aos meus "mini-legos".

Posso estar sem limite de tempo com o D.

Posso aproveitar a luz do sol.

Posso dedicar-me a tudo aquilo que realmente gosto.

 

Já disse que adoro estar de folga ao domingo?

19
Jan18

Trabalho em equipa

A.

Desde cedo na escola que nos é pedido para fazer trabalhos de grupo. Todos achamos isso uma grande seca porque nem sempre ficamos no grupo com as pessoas que mais gostamos, ou porque há sempre alguém que nunca participa e os outros é que fazem tudo ou até porque simplesmente não gostamos de trabalhar em grupo e preferíamos fazer o trabalho todo sozinhos e ao nosso gosto.

 

Hoje que sou um pouco mais crescida é que vejo realmente a importância de tal tarefa. Para além de toda a envolvente teórica ensina-nos também a aprender a trabalhar em equipa. E é das coisas mais úteis para o nosso futuro para aprendermos a lidar com os outros.

 

Cada pessoa é como cada qual, cada uma tem a sua personalidade e da mesma forma que gostamos que se adaptem a nós, nós também temos de saber dar o braço a torcer e adaptarmo-nos ao feitio do outro. E este é um dos truques para um bom trabalho em equipa. Não há só um lado com razão, nem só um lado com boas ideias. Devem estar todos dispostos a ouvirem-se e aproveitar o que cada um tem de melhor para dar. Sei que pode parecer tudo um bocado básico e infantil até, no entanto, se todos estivéssemos mais bem preparados para isso havia mais equipas formadas, mais boa disposição, melhor ambiente de trabalho, menos egoísmo e mais partilha. Sem que ninguém também tentasse sobressair e ser melhor que ninguém.

 

Mas isto poderei ser apenas eu a idealizar um método de trabalho mais eficiente que nem sempre existe. Contudo, se eu fizer a minha parte, quem sabe se os outros não farão também?!

17
Jan18

Volta Verão!

A.

Detesto o Inverno. Desculpem-me aquelas pessoas que adoram os dias frios em que anoitece rapidamente e os serões são passados à lareira na companhia de uma chávena de chá e o barulho da chuva a cair lá fora. Mas não gosto mesmo de ter que vestir dezenas de camadas de roupa para poder sair à rua, andar sempre encolhida pelo frio que se faz sentir e os dias são muitas vezes cinzentos e tristonhos. Cá eu sou muito mais adepta do sol, calor, das ruas coloridas pelas flores, de acordar com os passarinhos a cantar logo pela alvorada, já para não falar de que tenho muito mais energia. No inverno a tendência é para ficar na cama até ao último minuto debaixo das cobertas e parece que já nem se aproveita tão bem o dia, principalmente no meu caso que trabalho por turnos e nem sempre tenho que me levantar logo de manhãzinha cedo. 

 

No verão também temos as noites passadas ao luar, as festas de verão, as férias que passamos meses a desejar para esquecer um pouco a rotina, os fins de semana na beira da piscina e tantas outras coisas mais como as sobremesas frescas que sabem melhor nesta altura e até mesmo a fruta de verão mais suculenta como as cerejas, os pêssegos e as melancias.

 

Mas como não é tudo um mar de rosas, agora é mesmo inverno e só me resta ser paciente até que volte novamente o tempo quente para poder desfrutar de tudo aquilo que mais gosto.

Pág. 1/2

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D